More Website Templates @ TemplateMonster.com - August22nd 2011!

Pilates e Funcional Para amputados

Amputação é a retirada, geralmente cirúrgica, total ou parcial de um membro, sendo considerado um processo reconstrutivo de uma extremidade sem função ou com função limitada (CARVALHO, 2003; GABRIEL, 2001).

Os membros inferiores, frequentemente, possuem maiores chances de serem submetidos a tal procedimento em comparação aos membros superiores (MAY, 2004; CARNESALE, 2006). As causas estão entre as mais variadas, pode-se destacar: tumores , traumas, problemas vasculares, infecções e problemas congênitos(PINTO, 2001; CARVALHO, 2003; CACHOEIRA; FERÃO, s.d.).

O objetivo traçado em um programa de reabilitação consiste em proporcionar ao paciente amputado habilidades para realização de todas as atividades possíveis sem o uso da prótese, preparar o coto de amputação para que possa ser protetizado e desenvolver exercícios a fim de proporcionar independência funcional a este usuário com um membro protetizado, possibilitando o retorno à sociedade e às suas atividades de vida diária (PORTER, 2005).

Nós como fisioterapeutas, entendemos que as atividades personalizadas como o Pilates e o Treinamento Funcional podem ser incluídas no processo inicial de tratamento e reabilitação do paciente amputado. Mas, também, são atividades que podem ser incluídas no processo de manutenção prolongada.

Assim como, para todos os indivíduos, é importante manter uma atividade que estimule nosso organismo como um todo (corpo e mente), para os indivíduos amputados, isso também é de grande importância. Onde o objetivo principal é manter o bem estar e proporcionar independência ao paciente.

Utilizar o Pilates e o Treinamento Funcional, nos trás visões e opções diferentes para trabalhar com os pacientes amputados, utilizando exercícios globais e trabalhando o corpo como um todo, respeitando as limitações e diferenças.

Buscamos através desses dois métodos, trabalhar o equilíbrio muscular do paciente, a força, o alongamento, propriocepção, reeducação postural, melhora da sensibilidade do coto, além de dar estímulos e desafios diferentes que os aparelhos fornecem.

Estes estímulos e desafios fornecem uma melhora da adaptação do corpo a esta nova condição. Além disso, motiva o paciente a seguir em frente, cuidando de sua saúde e a sentir-se igualado aos outros praticantes do mesmo método.